OBID entrevista a pesquisadora Sanela Talic

O que é prevenção?
Penso que a definição de "ciência da prevenção" pela Rede Acadêmica de Ciência para Prevenção (SPAN) abrange totalmente o papel desse campo. É um campo muito rico em termos de combinação e uso do conhecimento de muitas disciplinas para considerar etiologia, epidemiologia, desenho de intervenção, eficácia e implementação para a prevenção de uma variedade de problemas sociais e de saúde. Não falamos apenas sobre prevenção ao uso de substâncias, mas também violência, suicídio, obesidade, doença mental, saúde sexual, doença crônica, etc. Focamos no comportamento como determinante de problemas de saúde e desigualdade de saúde. Fatores de risco comportamentais são causas importantes de doenças não transmissíveis (DNT). (SPAN, 2019)

O que é prevenção no campo da dependência química?
Prevenção no campo do uso de substâncias (por substância, entendemos álcool, produtos de tabaco, inalantes, cannabis, cocaína, heroína ...) são todas atividades baseadas em evidências científicas com o objetivo de impedir as pessoas de iniciar o uso de substâncias e podem ajudar aqueles que já começaram a usar para evitar o desenvolvimento de problemas.

Como a prevenção pode contribuir para evitar a drogadição?
A prevenção baseada em evidências envolve diferentes serviços e processos que demonstram melhorar consistentemente os resultados mensuráveis. Em pouco tempo, os resultados negativos para a saúde (também resultantes do uso de substâncias) podem ser evitados pela redução dos fatores de risco (por exemplo, leis e normas favoráveis ao comportamento, à disponibilidade (de álcool, tabaco), algumas características pessoais, como controle inadequado de impulsos, Além dos objetivos mencionados acima, a prevenção ao uso de substâncias tem uma intenção mais ampla - ajudar as pessoas a perceber seu potencial e talentos e mantê-los seguros e saudáveis.Para simplificar, nunca podemos saber qual fator de risco ou combinação de fatores de risco “empurrarão o indivíduo para além da fronteira” e isso significa que precisamos nos concentrar na prevenção sistemática (desde a mais tenra idade da criança e em diferentes ambientes) e só então podemos esperar um impacto positivo dos esforços de prevenção.

Que tipos de prevenção podem ser aplicados a diferentes públicos?
Como mencionado anteriormente, todos nós passamos pelo processo de socialização. Quando nascemos, não conhecemos o idioma, não temos normas e costumes - aprendemos tudo isso nesse processo e isso nos ajuda a funcionar bem na sociedade. Primeiro, trazemos para este mundo nosso »próprio pacote« - suscetibilidade genética, traços pessoais e interagimos com pessoas diferentes em diferentes ambientes - em nossas famílias, instituições de ensino, comunidade ... Então, na ciência da prevenção, visamos a sinergia dos esforços de prevenção em todos esses ambientes - escolas, famílias, comunidades, locais de trabalho e também temos prevenção ambiental e baseada na mídia.

Quais são as características de sistemas eficientes de prevenção?
Pergunta muito interessante e boa. Falando de nossas experiências (e acho que muitos de nossos colegas compartilham os mesmos pensamentos), temos nos concentrado muito em programas de prevenção, suas adaptações, educação no campo da ciência da prevenção, etc. e muito pouco em "sistemas de prevenção" (infraestrutura sustentável , financiamento, profissionalização etc). 

Costumo dizer que na maioria das vezes estamos semeando o asfalto - você pode ter as melhores sementes, mas nada crescerá se não houver solo rico. Ou vice-versa - houve alguns esforços para estabelecer grupos de ação locais que envolvem diferentes partes interessadas que decidem quais programas ou intervenções atendem melhor às suas necessidades - mas o problema era que não havia programas de prevenção baseados em evidências disponíveis. Existem muitos fatores para garantir o sistema de prevenção com qualidade e temos conhecimento disso, mas nenhuma informação é valiosa se não for implementada na prática. Certo?

O custo da prevenção compensa?
Definitivamente, sim. Existem muitos estudos sobre custo-benefício dos esforços de prevenção. Muitos desses estudos enfatizam a importância de apoiar programas eficazes de prevenção como parte de uma estratégia abrangente de prevenção ao uso de substâncias. A OMS relata que doenças não transmissíveis matam mais de 36 milhões de pessoas a cada ano e 80% dessas doenças compartilham quatro fatores de risco comportamentais evitáveis - uso de tabaco, uso nocivo de álcool, inatividade física e dietas não saudáveis. O artigo mais recente do The Lancet mostra que os custos anuais de US $ 143 bilhões na Europa se devem ao uso nocivo de álcool. Existem algumas estimativas que mostram que a relação custo-benefício da prevenção varia de 4 a 56 dólares por 1 dólar gasto na prevenção baseada em evidências.

Em quanto tempo um programa de prevenção pode apresentar resultados positivos?
Por exemplo, o programa de prevenção escolar Unplugged é um programa de três meses que mostrou alguns resultados positivos em termos de uso de álcool e tabagismo. Mas os pós-testes revelaram o que já sabemos - os resultados não são retidos por um longo tempo, o que novamente nos leva ao básico da ciência da prevenção - é importante trabalhar sistematicamente desde os primeiros anos e levar em conta os diferentes estágios de desenvolvimento das crianças. Eu sempre digo que devemos considerar a prevenção como um processo e não como um destino. Nesse processo, aprendemos sobre as necessidades de uma comunidade específica, suas capacidades, oportunidades ... e tudo isso leva tempo. O aspecto importante desse processo é o monitoramento e avaliação de nossos esforços. 

Eu vejo essa área como a janela de oportunidades que poderiam melhorar nosso trabalho - para fazer melhores escolhas que trariam melhores resultados. Infelizmente, porém, essa parte da ciência da prevenção não é totalmente utilizada na prática e grande parte das atividades de prevenção ainda se baseia no "que as pessoas pensam que funciona".

O que o motiva a trabalhar no campo da prevenção?
Muitas coisas. Primeiro, oferece ferramentas, aborda conhecimentos que podem ser utilizados na prática e podem impactar os grupos mais vulneráveis da nossa sociedade. Garaudy disse que "a pessoa não é apenas o que já é, mas também tudo o que ainda não é". E toda a sociedade tem a responsabilidade de oferecer a nossos filhos as melhores possibilidades de desenvolver o que ainda não existe. E a ciência da prevenção pode contribuir para esse desenvolvimento. Segundo, a ciência da prevenção reúne conhecimento de várias disciplinas - psicologia, epidemiologia, desenvolvimento de políticas, alfabetização midiática, marketing social, táticas e estratégias de indústrias não saudáveis, advocacia, psicologia da aprendizagem, educação de adultos, neurociência e epigenética. Veja bem, você nunca para de aprender, e é por isso que adoro essa área. E tive a chance de ouvir um de seus famosos escritores Augusto Cury. Em seus livros, ele oferece ótimas idéias que também podem ser úteis em nosso trabalho de prevenção.

Como é que o OBID pode contribuir para o seu trabalho?
Eu acho que a melhor maneira seria seguir nosso trabalho que provavelmente faremos em algumas de suas cidades. Tivemos a chance de passar dois dias inteiros com participantes muito entusiasmados e motivados em São Paulo durante o congresso do Freemind. Eles nos deram algumas dicas sobre a situação da prevenção em suas comunidades e mostraram interesse na ciência da prevenção. Acho que sua plataforma pode servir como um bom lugar para compartilhar nossas atividades, trabalhos e resultados e promover nosso trabalho em outras cidades também.

Sanela Talić é diretora de programas de prevenção do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento "Utrip" (UTRIP). Ela está envolvida em vários projetos financiados pela CE nas áreas de prevenção de dependência, promoção da saúde e estilos de vida saudáveis, aprendizado socioemocional, prevenção de violência e lesões há mais de 10 anos. Ela também é pesquisadora e candidata a PhD em Ciência da Prevenção na Universidade de Zagreb, Croácia. Ela é instrutora mestre dos programas de prevenção nas escolas Unplugged (12-14 anos) e EFFEKT (pais) (www.effekt.org) e coordenadora nacional e instrutora mestre do Strengthening Families Program do Prof Dr Karol Kumpfer (SFP), Programa Boys and Girls Plus, Good Behavior Game (GBG) etc. Sanela é membro e ex-secretária eleita da European Society for Prevention Research (EUSPR) (dois mandatos). Suas realizações notáveis são especialmente as seguintes: liderança na disseminação de práticas de prevenção baseadas em evidências nacional e internacionalmente, habilidades de treinamento excepcionais, que inspiram os trainees a trabalharem ainda melhor na prática, uma defensora excepcional de políticas e práticas baseadas em evidências, nacional e internacionalmente. Sanela foi premiada com o ISSUP Early Career Award na quarta conferência da ISSUP em Nairobi (Quênia) em 2018.

Fonte: http://mds.gov.br/obid/entrevistas/sanela-talic

 

Country
Brasil