Gap de tratamento, ajuda-buscando, estigma e magnitude do transtorno do uso de álcool na Etiópia rural

Abstrata

Fundo

Embora as desordens do uso do álcool contribuam uma proporção elevada da carga da doença de população, a abertura do tratamento é grande, especial em países da baixo-e da médio-renda. Para restringir essa lacuna, são necessárias evidências contextualmente relevantes para informar o desenvolvimento de serviços em configurações de país de baixa e média renda. O objetivo deste estudo foi avaliar a magnitude da lacuna de tratamento para transtorno do uso de álcool, comportamento de busca de ajuda, estigma e barreiras ao cuidado entre pessoas com transtorno do uso de álcool na Etiópia rural.

Métodos

Realizou-se uma pesquisa transversal de casa a casa no distrito de sodo, no sul da Etiópia. Uma amostra de 1500 adultos foi selecionada usando amostragem aleatória simples de um censo de domicílios e rastreada para transtorno do uso de álcool usando a ferramenta de identificação de transtornos do uso de álcool (AUDIT). A busca por ajuda, barreiras ao cuidado e estigma internalizado foram investigadas entre pessoas com transtorno de uso moderado de álcool (escore AUDIT ≥ 16). Regressão de Poisson com variância robusta foi utilizada para examinar os fatores associados ao transtorno do uso de álcool.

Resultados

A prevalência de transtorno do uso de álcool (AUDIT ≥ 8) nos últimos 12 meses foi de 13,9% (25,8% em homens e 2,4% em mulheres, p-valor < 0, 1). Pessoas com transtorno do uso de álcool apresentaram maior incapacidade (razão de prevalência ajustada (aPR) 1, 3, intervalo de confiança de 95% (IC) 1, 1, 1, 3) e escores de sintomas depressivos mais elevados (aPR 1, 2, 95% IC 1, 1, 1, 4). A lacuna de tratamento foi muito ampla, cerca de 87,0% (apenas 13% procuraram ajuda) dos participantes com escore de AUDIT ≥ 16 nunca procuraram ajuda para seus problemas de álcool e 70,0% relataram alto estigma internalizado. Grandes barreiras à busca de ajuda foram procurados para lidar com o problema por conta própria, acreditando que ele iria ficar melhor por si só e estar inseguro sobre onde ir.

Conclusões

Embora os transtornos do uso de álcool sejam problemas comuns na Comunidade etíope, a necessidade de tratamento não atendida é substancial. Uma abordagem de cuidados integrados tem o potencial de abordar essa necessidade, mas o estigma e a baixa conscientização podem ser barreiras importantes para a busca de ajuda. São recomendadas intervenções para reduzir o estigma e melhorar a conscientização da Comunidade.

Citation
Zewdu et al. Substance Abuse Treatment, Prevention, and Policy (2019) 14:4 https://doi.org/10.1186/s13011-019-0192-7
Publication Date
Research Language

inglês

Country
Etiópia
Themes

Attachments