Livia

Live com Especialistas: Álcool e outras Drogas no mundo do Futebol - 05/08

Livia

Live com Especialistas: Álcool e outras Drogas no mundo do Futebol - 05/08

O que leva uma pessoa a usar álcool e outras drogas? E quando esta pessoa é um esportista conhecido, tipo um jogador de futebol? Diversos atletas viram suas carreiras serem prejudicadas ou comprometidas devido ao uso dos entorpecentes. Alguns foram descobertos a partir de exames antidoping ou por terem perdido o controle sobre suas vidas.

Jogador de Futebol em campo antes do uso de álcool e outras drogas

 

No Brasil, chamado de País do Futebol, o álcool e outras drogas já fez inúmeras vítimas bastante conhecidas e admiradas: Mané Garrincha (bicampeão mundial com a seleção brasileira em 1958 e 1962, morreu em 1983 de cirrose), Sócrates (capitão do Corinthians e da seleção brasileira na década de 80, morreu em 2011 de choque séptico decorrente do alcoolismo), Adriano Imperador (ex-ídolo rubro-negro em 2010 envolveu-se em polêmicas com a ex-mulher e admitiu problemas com alcoolismo), Vladiram (artilheiro da Copa do Brasil em 2006, foi dispensado do Vasco por problemas ligados ao consumo de álcool e drogas), Walter Casagrande Junior (ídolo do Corinthians e com passagens pela Seleção Brasileira, Flamengo e vários clubes internacionais, hoje comentarista esportivo da Rede Globo, começou a usar drogas na adolescência, passou por diversas internações e quase morreu em um acidente de carro até decidir abandonar seu vício em cocaína e heroína), entre tantos outros.

Jogador de Futebol em campo após o uso de álcool e outras drogas

E não só no Brasil o álcool tem feito estrago na vida de jogadores famosos: o norte-irlandês George Best, ídolo do Manchester United nos anos 60, morreu em 2005 por problemas renais após um transplante de fígado; o inglês Paul Gascoigne, destaque da seleção inglesa no início dos anos 92, vem enfrentando problemas até hoje por seu vício em álcool e drogas; o argentino Ariel “Burrito” Ortega, ídolo do River Plate, foi dispensado do time em 2010 após admitir publicamente seu vício e também na Argentina, Diego Maradona foi tratado pelo vício do álcool em 2007.

Mas porque os jogadores de futebol usam álcool e outras drogas?

Muitos são os motivos que podem ser o estopim deste vício, entre eles podemos citar o fato de que muitos deles vêm de periferias, de famílias desestruturadas e que quando são contratados pelos clubes de futebol, encontram um mundo de possibilidade e não têm o preparo psicológico para lidar com isso.

Origem humildes de alguns jogadores de futebol não os preparam para as pressões do meio

Enfrentar a pressão da profissão, a fama e a saudade da família são fatores que também podem estar relacionados com o uso de álcool e outras drogas.

Ao perceberem o quanto sua vida mudou e encontrarem um ambiente farto de drogas e de dinheiro para consumi-las, muitas vezes para serem aceitos no meio em que vivem, passam a consumir drogas lícitas e ilícitas. 

Não saber lidar com as perdas, seja na vida pessoal como dentro do campo de futebol (afinal, não se ganha todos os dias!), e com poucos momentos de privacidade, alguns jogadores não suportam o estresse e encontram na bebida um refúgio.

Ao contrário do que parece, os motivos para fazer uso de drogas podem ser semelhantes. Porém, as razões íntimas são variadas. Cada indivíduo tem uma razão para ter se tornado dependente químico.  

Alguns indivíduos consideram a droga uma solução para enfrentar situações difíceis, buscando nela uma força interna que acreditam não existir. No entanto, se deparam com um problema mais complicado que aquele do qual estavam fugindo e que os levaram à dependência química.

Para aprofundar esse assunto, a Mobilização Freemind e a ISSUP Brasil trarão para a “Live com Especialistas”, no dia 05 de agosto de 2020, a partir das 20h30, no Youtube do Freemind, dois amigos queridos e ex-jogadores de Futebol: Silas e Zé Elias.

Silas – Durante sua carreira de jogador profissional de 1984 a 2004, jogou em clubes do Brasil, Portugal, Uruguai, Argentina, Japão e Itália. Com a seleção de base do Brasil, ganhou o prêmio Bola de Ouro da Adidas no Mundial Sub-20, e com a equipe principal jogou 38 partidas, e participou das Copas do Mundo de 1986 e 1990. Após encerrar sua carreira como jogador, virou empresário trabalhando com uma franquia, além de ter participado de um projeto que auxilia "Atletas de Cristo" ao lado de Alex Dias Ribeiro. Depois disso optou por atuar como treinador de futebol. Inicialmente, foi auxiliar do técnico e amigo Zetti e, atualmente, exerce a função principal. Já esteve no comando de clubes como Fortaleza, Avaí, Grêmio e Flamengo.

Zé Elias – Foi um dos mais jovens jogadores de futebol a vestir a camisa do Corinthians. Quando estreou, em 1993, não tinha nem completado dezessete anos. Mesmo tendo deixado o clube muito jovem, em 1996, suas principais qualidades como jogador já eram visíveis e conquistaram a torcida. Mas a característica que transformou no "Zé da Fiel" foi sua raça e incansável disposição para lutar pelo time. Viveu seu melhor momento no Corinthians em 1995, quando com dezoito anos de idade, foi convocado para a Seleção Brasileira. Imediatamente após encerrar a carreira, Zé Elias ingressou na carreira de comentarista esportivo, estreando no dia 8 de julho de 2009 na Rádio Globo. Atualmente, trabalha como comentarista nos canais ESPN.

Será imperdível! Esperamos vocês para um bate-bola muito importante com Silas e Zé Elias, no dia 05/08, a partir das 20h30 no YouTube do Freemind. Acesse o link abaixo e ative o sininho para receber a notificação. Aproveite e se inscreva em nosso canal.

https://www.youtube.com/watch?v=Ko9r_lzDy6c

Live sobre Álcool e outras drogas no mundo do Futebol